Fechar
Acesso restrito


Notcias

05/01/2018 - Nova lei altera regras para jornada de trabalho em tempo parcial

Regime passa a ter duas jornadas diferentes, horas extras e férias integrais



As mudanças propostas pela reforma trabalhista (Lei n.º 13.467/2017) começaram a vigorar no dia 11 de novembro de 2017. Para auxiliar o empregador a entender e se adequar às alterações, o GBrasil publica uma série de matérias sobre o que muda, na prática, para as empresas.

O ponto analisado hoje é a jornada de trabalho em tempo parcial. Antes da reforma trabalhista, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) caracterizava esse regime como jornada de até 25 horas semanais e com a proibição da realização de horas extras. “O salário era proporcional aos que cumprem jornada integral nas mesmas funções e as férias eram adequadas à jornada semanal e concedidas em períodos que podiam variar entre 8 e 18 dias, não podendo converter 1/3 do período de férias em abono”, lembra Alexandre Scalcon dos Reis, diretor da T&M Consulting (GBrasil | Santa Maria – RS).

A nova lei alterou todas as regras para esse regime e, agora, o artigo 58-A da CLT prevê duas jornadas para o trabalho parcial. “A primeira é o trabalho em 30 horas semanais, sem horas extras, e a segunda é o trabalho em até 26 horas semanais com possibilidade de labor extraordinário de até seis horas semanais”, explica a advogada trabalhista Palloma Nobre Sena, do Coimbra & Chaves Advogados, que faz parte da ALAE – Aliança de Advocacia Empresarial. As horas extras devem ser pagas com o acréscimo de 50% sobre o salário-hora normal e podem ser compensadas por banco de horas semanal.

De acordo com Palloma, a opção pela jornada de 26 ou 30 horas semanais deve ser feita no momento da contratação e descrita expressamente no contrato de trabalho. “É importante se atentar para essa formalidade para que não existam alegações futuras por parte dos empregados de alteração de contratação lesiva ou que a possibilidade de trabalho extraordinário não estava prevista”, ressalta.

Outra mudança para o trabalho parcial é em relação às férias. “Elas podem ser concedidas da mesma forma que aos empregados em regime tradicional, ou seja, em períodos que vão de 12 a 30 dias, conforme a quantidade de faltas no período aquisitivo das férias. Os empregados nesse regime também passam a ter direito a converter 1/3 do período de férias em abono pecuniário”, comenta Reis.

Segundo os entrevistados, o trabalho por tempo parcial favorece as empresas, que podem contratar funcionários para exercer as funções em tempo menor e com pagamento do salário proporcional ao período trabalhado.

O próximo ponto a ser detalhado pelo GBrasil será em 12 de janeiro sobre tempo à disposição do empregador. Acompanhe!

Veja mais

Salários: entenda o que muda com a reforma trabalhista

Demissões: entenda o que muda com a reforma trabalhista

Reforma trabalhista: entenda a prevalência do negociado sobre o legislado

Férias: saiba o que muda com a reforma trabalhista

Reforma trabalhista: como fica a responsabilidade de ex-sócios por dívidas?

Reforma trabalhista: o que muda em relação ao uso de uniformes?

Contrato de trabalho intermitente: conheça a nova categoria de serviço com a reforma trabalhista

Reforma trabalhista cria regras para o home office

Reforma trabalhista: como ficam as horas extras?

Reforma trabalhista: saiba como ficam os contratos individuais de trabalho

Reforma trabalhista altera regra para reversão de cargos de confiança

Médico deverá definir se ambiente de trabalho é insalubre para grávidas e lactantes

Novas regras permitem que empregado escolha arbitragem em questões trabalhistas

Nova lei estabelece valores de indenização em casos de danos morais

Conheça os principais pontos da reforma trabalhista ajustados pela MP 808

Perda de habilitação profissional pode gerar demissão por justa causa

Novas regras tornam contribuição sindical facultativa

Multa por empregado sem registro passa a ser proporcional ao porte da empresa

Novas regras acabam com pagamentos de períodos de deslocamento

Newsletter

Rua Clodomiro Amazonas, 1435
So Paulo - SP - 04537-012
e-mail: contato@gbrasilcontabilidade.com.br
Tel: (11) 3814-8436
veja o mapa