Notícias

Informações especiais para a sua empresa

21/09/2021

Tecnologia

Como funcionará o Pix após as mudanças anunciadas pelo Banco Central?

A fim de reduzir fraudes, meio de pagamento instantâneo terá limite para transações no período noturno e novos recursos de segurança

Pedro Duarte

Com mais de 100 milhões de usuários, o Pix – sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central – passará por algumas mudanças estruturais. Em 27 de agosto, o Diretor da Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello, anunciou que o meio de pagamento passará a limitar transações entre pessoas físicas, inclusive MEIs, durante a noite, além de fazer cadastro prévio de contas com limite maior e dar prazo para solicitação de aumento do limite.

Segundo Mello, o objetivo é desestimular golpes e crimes através do meio de pagamento. A atual taxa de fraudes em transferências via Pix é de 0,5 a cada 100 mil transações. Confira a seguir quais são as mudanças anunciadas para o Pix ponto a ponto. As novas restrições deverão entrar em vigor durante os próximos meses.

Limite noturno

Pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEIs) passarão a ter um limite de R$ 1 mil para a soma de suas transações realizadas entre 20h e 6h. O Banco Central também adiantou que será possível manter diferentes limites para os períodos noturno e diurno. Caso o usuário peça redução do valor do limite, a mudança será imediata. Por outro lado, solicitações para aumento da quantia levarão entre 24 horas e 48 horas para serem atendidas.

Cadastro prévio de contatos

Os usuários do Pix poderão cadastrar contas que terão limite acima do padrão definido. A inserção desses contatos terá um prazo mínimo de aprovação de 24 horas, como parte do projeto de ampliação da segurança no sistema de pagamentos.

Combate a crimes

Instituições participantes do Pix também serão afetadas. Para evitar fraudes, bancos e carteiras digitais poderão reter transações por 30 minutos em período diurno ou por uma hora, à noite, para conferência de dados e análise de riscos na operação. O Diretório de Identificadores de Contas Transacionais do BC vai receber os dados das transferências sob suspeita para avaliação.

Dados do Pix Até 31 de agosto, o Pix possuía cerca de 204,2 milhões de contas cadastradas. As contas de pessoas jurídicas, no entanto, são minoria: apenas 9,1 milhões. Para as empresas, o sistema de pagamentos é considerado um grande facilitador, pois a rápida compensação dos valores

torna a gestão financeira mais dinâmica. Utilizando conciliações bancárias e o serviço de BPO financeiro, é possível obter um controle mais apurado do faturamento e da rentabilidade de empreendimentos que utilizam o Pix de maneira recorrente, seja on-line ou presencialmente.

faixas_servicos_faixa_2

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA NOVIDADES NO SEU E-MAIL