Notícias

Informações especiais para a sua empresa

12/01/2020

Cliente GBrasil

Distac inaugura quarto CD no Nordeste e espera crescer 20% em 2020

Líder no mercado nordestino de distribuição de material de construção, empresa do Grupo Tupan passa a abastecer todo o Ceará com CD em Aquiraz, na Grande Fortaleza

por Diva de Moura Borges

Com 13 mil lojistas clientes e mais de 8 mil itens em portfólio, a Distac, distribuidora de materiais de construção do Grupo Tupan, vem dando passos cada vez mais firmes no Nordeste brasileiro. O último deles foi a inauguração, em outubro, do Centro de Distribuição em Aquiraz, na Grande Fortaleza (CE). Com 8.080 m² de área construída, o novo CD, localizado no Condomínio Empresarial Ibiapina, está permitindo um atendimento mais rápido e também estendido a todo o território do Ceará. Até então, a distribuidora abastecia parcialmente o estado. "Algumas entregas que antes demoravam uma semana, podem ser feitas agora em até 24 horas", explica com estusiasmo, o empresário Carlos Aurélio Carvalho Nunes,  ou "Carlinhos" – como o empresário prefere ser chamado por todos a sua volta.

A Distac opera em todos os estados nordestinos e parte da região Norte com com quatro centros de distribuição e 232 caminhões próprios. A frota está sendo complementada, este mês de janeiro, com 68 novos caminhões Mercedes Benz. O mais antigo CD é o de Serra Talhada (PE), responsável por abastecer os lojistas de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. O segundo deles é o de Timon (MA), que atende aos estados do Maranhão, Piauí, Pará e Tocantins. O centro de distribuição de Maceió (AL) responde pelos clientes de Alagoas, Sergipe e Bahia. O recém-inaugurado CD de Aquiraz (CE) foi criado para atender exclusivamente aos lojistas do Ceará.  "A agilidade nas entregas está nos ajudando a conquistar mais mercado. Antes, atendíamos este estado apenas com representantes comerciais autônomos. Agora, temos também vendedores celetistas, que oferecem uma assistência melhor ao cliente", explica Carlinhos.

bloco-diretoresO Grupo Tupan, do qual também faz parte uma rede de varejo com nove home centers Tupan, emprega um total de 2.200 colaboradores em regime celetista e 350 representantes comerciais autônomos.

A divisão de atacado (Distac) registrou aproximadamente R$ 450 milhões de faturamento em 2019, um crescimento de 3,7% em relação a 2018. Na divisão de varejo (lojas Tupan), o faturamento foi de R$ 300 milhões, número 5% superior no mesmo comparativo anterior.  Os resultados são modestos, na opinião de Carlinhos, mas muito significativos para um ano avaliado como difícil e de grande luta para todo o mercado da construção civil. "No primeiro semestre tivemos uma queda, mas conseguimos recuperar no período seguinte e apresentar ainda um pequeno crescimento", analisa.

O resultado positivo em meio ao cenário de crise é justificado pelo empresário com o esforço e engajamento contínuo das equipes (Vendas, Compras, Marketing, Logística e Financeiro), o investimento em treinamento de seus executivos junto à Fundação Dom Cabral, e a inauguração, em novembro, da nona unidade de home center do Grupo, em Olinda (PE), com 6.600 m² de área construída num terreno de 10 mil m². "Foi um sucesso total", comemora. As demais lojas de varejo da Tupan estão em Recife, Serra Talhada, Caruaru e Maceió.

Outro aspecto que contribuiu para o resultado positivo do Grupo foi a ampliação de portfólio do negócio atacadista, com a inclusão de produtos veterinários e produtos aplicados em sistemas de irrigação de lavoura. "Estamos nos diversificando e expandindo o mercado, inclusive da nossa divisão de varejo", salienta o empresário.

Força da aliança setorial

Outra estratégia vencedora, esta adotada há três anos, foi a afiliação da Tupan ao grupo Construbrasil, do qual fazem parte 10 grandes varejistas brasileiros da área de material de construção. Com forte poder de negociação de preços, tanto para produtos nacionais como importados, a aliança empresarial mantém hoje um CD na China, onde concentram compras conjuntas de marcas exclusivas em várias regiões da Ásia. Comitês de gestores de TI, RH, Compras, Vendas, Marketing e Controladoria também têm contribuído para o benchmarking e o desenvolvimento das empresas varejistas da Construbrasil. "Para nós tem sido um grande aprendizado participar desse grupo. Tem ajudado muito o nosso negócio", revela Carlinhos. Fazem parte da aliança, as seguintes empresas: Todimo, São Jorge, Tupan, Potiguar, Normatel, J.Monte, DiCasa, ABC da Construção, Pisolar e Comjol. De acordo com dados da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), a Distac ocupa o 6º lugar no ranking dos atacadistas e o 18º no varejo, com as lojas Tupan.

Perspectivas para 2020

bloco-faixaÉ com muito otimismo que Carlinhos traça a perspectiva dos negócios para 2020. Ele espera um crescimento de 20% nas receitas do Grupo Tupan, calcado no ambiente político-econômico e ainda, na abertura de dois novos centros de distribuição – um na Bahia e outro no Pará – e a inauguração de mais dois home centers Tupan. "Não divulgamos os locais porque ainda estamos negociando os espaços dessas lojas, mas posso dizer que serão no Nordeste", anuncia o empresário.

Atendimento GBrasil

A Acene Contabilidade (GBrasil | Recife-PE) é a responsável pelo assessoramento contábil e tributário de todas as centrais de distribuição, da transportadora (Dispan) e dos home centers do Grupo Tupan. O diretor Carmelo Farias ressalta que o trabalho da Acene é viabilizar a expansão dos negócios por meio de regimes tributários especiais em cada Estado e condição de incentivos fiscais. Ele diz que adaptar a empresa à legislação de cada local é um dos maiores desafios. O trabalho para a abertura da central de distribuição no Ceará, por exemplo – usufruindo do incentivo fiscal e a condição de substituto tributário – foi feito em parceria entre a Acene Contabilidade e a Marpe Contabilidade (GBrasil | CE). A empresa contábil cearense responde hoje também pela assessoria fiscal no estado.

Um processo de otimização tributária do Grupo Tupan foi também capitaneado pela Acene. O trabalho é minucioso, segundo Carmelo, e conforme as exigências do Fisco, demanda precaução com o planejamento tributário e com a qualidade das informações declaradas. "Para cada Estado é feito um estudo diferente, com o objetivo de avaliar, dentro do que cada unidade federativa oferece, as possibilidades e o incentivo fiscal adequado à empresa", afirma o contador.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA NOVIDADES NO SEU E-MAIL